Na Quinta

A soalheira localização da propriedade, o ar puro da floresta, a piscina e as diversas áreas de lazer no exterior (cozinha e zona de refeições, terraços, alegretes e bancos dispersos no empedrado logradouro) apaixonam.

Passeios pelas pastagens, pelo souto de castanheiros, olival e pomar de medronhos constituem, para além do caminho da mina de água nascente calmantes naturais ao alcance dos hóspedes.

A diária recolha dos ovos das diversas galinhas, a condução do rebanho de ovelhas, o tratamento ou a simples companhia dos cães da Serra da Estrela são, a par com o fabrico do pão em forno de lenha, tarefas dignas dos moradores na quinta.

Cozinhar ao ar livre, desfrutar da piscina de água salgada, dormitar nas camas de rede constituem oportunidades complementares à horticultura, jardinagem, jogging, passeios pela floresta (a pé ou de bicicleta), que não deve perder.

Existe ainda toda a actividade agrícola e pecuária – tosquia do rebanho, tratamento, poda e colheita das árvores fruteiras, limpeza anual das árvores ornamentais, plantio, maneio e colheita na horta, cujo almanaque “Borda D´Água” orienta.

O árduo maneio da vinha contígua (cavar, podar, atar, curar) culmina com um momento nobre – Setembro / Outubro – da vindima, que marca o início do processo de fabrico do vinho. Terminadas as vindimas, a quinta mobiliza-se até Dezembro num processo ainda artesanal de apanha da azeitona e fabrico do azeite. Mantas, varas e canecos (grandes baldes de transporte) dão aos campos um colorido típico, antes do transporte das azeitonas maduras para os lagares tradicionais.

A Casa Velha disponibiliza ainda um espaço para a prática musical (piano, contrabaixo e bateria), bem como livros, cd’s e dvd’s que certamente contribuirão para que os seus dias sejam inesquecíveis. Noite dentro, a lua e a observação das estrelas constituem actividades a considerar.

naquinta1 naquinta2 naquinta3 

PT | ENG